Você percebe que está ficando velho quando começam a te pedir dicas de carreira 🙂

Brincadeiras a parte, esse é um assunto que me interessa bastante, e nestes papos de carreira, uma pergunta aparece frequentemente:

Dentre tantas opções de assuntos e tecnologias existentes, como eu escolho o que estudar primeiro?

Para tentar responder essa dúvida eu imaginei um processo, um “framework” talvez?

O primeiro passo é exercitar seus dons artísticos (coisa que eu obviamente não tenho) e criar uma série de círculos, com você no centro:

Três círculos vazios sobrepostos com um emoji de pessoa pensando no centro

No primeiro círculo ao seu redor, anote os tópicos/tecnologias que, se você se especializar, vão causar o maior impacto possível na sua carreira neste momento. Para exemplificar, vou fazer o meu desenho:

Três círculos sobrepostos com um emoji de pessoa pensando no centro e tópicos preenchidos no primeiro círculo

Neste momento, em Junho de 2022, os tópicos que causam mais impacto no meu desempenho são Go, Kubernetes, Performance e Kafka. São os assuntos que eu vou me aprofundar muito nas próximas semanas e meses, pois são os que vão ajudar muito nos meus resultados.

A seguir podemos preencher o próximo círculo:

Três círculos sobrepostos com um emoji de pessoa pensando no centro e tópicos preenchidos nos dois círculos internos

São assuntos igualmente importantes e interessantes, mas eu vou dar menos foco neles a curto prazo. Sempre que eu encontrar algum tópico relacionado a eles eu vou salvá-lo em um bookmark, documento do Notion, To Do list, etc, para me aprofundar em outro momento.

E o último círculo eu preencho com assuntos que não vou me aprofundar muito neste momento, mas quero manter no meu “radar”, tendo um conhecimento superficial, mas que sei que serão importantes em breve.

Três círculos sobrepostos com um emoji de pessoa pensando no centro e tópicos preenchidos nos três círculos

Assuntos que estão fora deste radar eu vou apenas observar de longe, no máximo saber para o que servem, quais suas vantagens, etc. Por exemplo, todo o universo “crypto” ou mesmo o desenvolvimento frontend, apesar de interessantes e importantes, não vou observar agora, pois eles não causam tanto impacto no meu desempenho a curto e médio prazo. Com isso eu ganho foco e diminuo a síndrome de FOMO.

Outro ponto importante é revisar este gráfico conforme você evolui na sua carreira, ou quando muda de time ou empresa. Ou mesmo ter mais de um diagrama, talvez um para o trabalho e outro para seus hobbies? A velocidade com que você cria novos diagramas vai depender de vários fatores, como novos projetos, sua velocidade de aprendizado, etc. Uma sugestão extra é você guardar os diagramas conforme vai criando novos, assim você pode ter um histórico do que focou em cada momento da sua carreira.

Espero que esta técnica seja útil para você, assim como tem sido importante para mim.

P.S.: aceito sugestões de nomes para este diagrama 🙂